vanessa620

Vanessa Quintiliano

App CBH

O britânico Nick Skelton, campeão olímpico da modalidade Salto na Rio 2016, foi o grande vencedor do FEI Awards Best Athlete (melhor atleta) em cerimônia de premiação na noite dessa terça-feira, 22/11, no Park Tower Hotel, em Toquio, no Japão.  Já o cavaleiro brasileiro Rodolpho Riskalla - que menos de um ano após a amputação da parte inferior das duas pernas e quase todos os dedos integrou a equipe brasileira paraequestre na Rio 2016 ficando entre os Top Ten de sua categoria - conquistou o prêmio Against All Odds (contra todas as adversidades). 

against all odds650

Rodolhpo Riskalla no centro das atenções 

A premiação contou com presença da princesa Haya, presidente de honra da Federação Equestre Internacional (FEI) e criadora do prêmio. O evento que celebra a excelência, o comprometimento, dedicação e coragem promovido com parceria com a Longines, principal parceira da FEI, também rendeu o prêmio Best Groom (melhor tratador) a Mark Beever, britânico que cuida do craque Big Star, montaria do campeão olímpico Nick Skelton. 

A cerimônia abriu com prêmio Longines Rising Star (estrela em ascensão) para pessoas entre 14 e 21 anos. Em reconhecimento ao esforço e excepcional ano esportivo, o prêmio ficou com do alemão Sönke Rothenberger (GER), integrante da equipe alemã de adestramento medalha de ouro na Rio 2016. De quebra, o cavaleiro também foi presenteado com um relógio Longines Conquest Classic. 

EquestrianHeroes650

Os heróis equestres em flash de confraternização

O prêmio FEI Solidarity (solidariedade) foi para Moulay Abdellah Alaoui, presidente da Federação Equestre do Marrocos e que foi representando por Badr Fakir, secretário geral da entidade. 

A premiação apresentada por Liz Price da Grã Bretanha e do japonês Koji Murofushi, campeão olímpico de lançamento de martelo em Athenas 2004 e diretor de esportes Toquio 2020, teve presença de 300 convidados entre representantes da Federações Internacionais, patrocinadores FEI, VIPs e mídia internacional.   

“Os prêmios FEI são uma oportunidade de celebrar o incrível trabalho daqueles que merecem reconhecimento, não somente de nossa comunidade mas de toda indústria do esporte. Tivemos cinco incríveis vencedores essa noite", destacou Ingmar de Vos, presidente da FEI.  “Esses talentosos e dedicados atletas inspiram as novas gerações, não somente cavaleiros e amazonas e podem literalmente mudar vidas e comunidades. A FEI está muito orgulhosa em poder honrar e reconhecer essas conquistas." 

ingmar650

Ingmar Vos, presidente da FEI, com a palavra

Juan-Carlos Capelli, vice presidente da Longines, diretor da marketing internacional e que entregou o Prêmio Longines Rising Star, declarou: "é um grande prazer estar aqui essa noite e poder celebrar a premiação FEI desses herois do hipismo. São campeões dos quais podemos nos orgulhar muito." 

As cinco categorias da premiação tiveram um número recorde de nomeações, deixando uma difícil tarefa de seleção dos cinco vencedores para a comissão de juízes. Tsunekazu Takeda, presidente do Comitê Olímpico Japonês e vice presidente honorário da FEI, liderou as escolha ao lado de Ingmar de Vos da Bélgica, presidente da FEI, Juan-Carlos Capelli, vice presidente da Longines, o melhor atleta do de 2015 Boyd Exell da Austrália, Glenda Warburton, presidente Federação Equestre da Suazilândia, Angelica Trabert, da Alemanha, vencedora do FEI Awards Against All Odds em 2010 e Liz Price, apresentadora de TV britânica.

ingmar juan550

Ingmar de Vos e Juan-Carlos Capelli

A cerimônia de premiação abriu Juan-Carlos Capelli apresentando a Ingmar de Vos, um série limitada de relógios equestres, a Longines Equestrian Pocket Watch Horses Trio 1911, celebrando os 105 anos de comprometimento com a modalidade Salto. O exclusivo relógio de ouro rosa de 18 quilates ficará em permanente exposição na galeria de arte da sede FEI em Lausanne, na Suiça. 

Saiba mais sobre os vencedores

Against all Odds  (contra todas as adversidades) - Rodolpho Riskalla (BRA)

Foram muitas as nomeações de Rodolpho. O cavaleiro de 31 anos defendeu o Brasil na Rio 2016, na modalidade Adestramento Paraequestre e não no Adestramento, o que seria seu plano original. Riskalla contraiu uma meningite em 2015 que levou a amputação de seus dois pés e quase todos os dedes. Quando saiu do hospital após as amputações que salvaram sua vida, ele voltou a montar já visando os Jogos Paralímpicos Rio 2016. Aprendeu a montar novamente com proteses na perna e poucos dedos e  sua determinação, paixão e resiilência fizeram dele um herói nacional. Mediante todas as adversidades, Riskalla alcançou o sonho de defender seu país. 

rodolpho550

Rodolpho Riskalla e sua mais que merecida premiação

“Vencer o FEI Awards, é como ganhar um Oscar, é como ser superstar", afirma Rodolpho. "Ao mesmo tempo, em especial, o prêmio Against All Odds representa exatamente o que vivi no último ano. Antes eu não acreditava que um ser humano pudesse ser tão forte e se adaptar tão rapidamente, é algo que vem de dentro como o espírito olímpico.  Estou realmente orgulhoso em ser um cavaleiro paraequestre olímpico e poder representar a nossa modalidade.”

Best Athlete (melhor atleta) - Nick Skelton (GBR)

Campeão olímpico individual no Salto na Rio 2016, Nick Skelton começou a montar aos 18 anos. Em 1975 foi prata por equipes e ouro individual no Europeu de Juniores. Na categoria Senior em Campeonatos Europeus, levou três ouros, três pratas e três bronzes integrando a equipe britânica ao longo de um período de 26 anos. Em 1980 competiu nos Jogos Olímpicos Rotterdam (alternativos devido ao boicote a Moscou) garantindo prata por equipes. Aos 54 anos foi ouro por equipes nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e quatro anos mais tarde faturou ouro individual na Rio 2016, sua sétima Olimpíada. 

Skelton quebrou a nuca em setembro de 2001, um acidente que poderia ter encerrado sua carreira. Mas após um ano de descanso voltou a competir em 2002. Também fez um cirurgias de prótese no quadril e duas no joelho. 

“Quero agradecer a FEI por esse prêmio maravilhoso", disse Skelton. “Tive um ano incrível o que deixa esse prêmio ainda melhor. Quero agradecer a toda a equipe que está comigo e o Big Star pelo trabalho duro e paciência." 

Longines Rising Star (estrela em ascensão) - Sönke Rothenberger (ALE)

Sönke Rothenberger, 22, e cavalo Cosmo foi a conjunto mais jovem na modalidade Adestramento na Rio 2016, somando juntos - o cavaleiro então com 21 anos e 9 do cavalo - 30 anos. Uma bela estreia uma vez que a dupla integrou a equipe medalha de ouro. Entre as conquistas de Rothenberger estão, entre outras, a medalha de ouro por equipes no CDIO5* Aachen 2016, ouro individual e por equipes no Europeu de Young Riders 2014, e ouro por equipes e prata individual no Europeu de Poneis em 2009. 

“Receber esse prêmio é uma grande honra para mim", destacou Rothenberer. “Têm tantas outras pessoas pelo mundo que merecem, mas eu ser a pessoa condecorada é simplesmente especatular e cereja do bolo de tudo que vivi esse ano. Eu fiquei realmente surpreso e agradecido e nunca pensei que a FEI me honraria com esse prêmio. Muito obrigado!”

Best Groom (melhor tratador) - Mark Beever (GBR)

O tratador que trabalha com Nick Skelton recebeu inúmeras nomeações de seus colegas de profissão, cavaleiros e comunidade hípica. Sua lealdade e dedicação a seu chefe é evidente: uma parceria de trabalho de 31 anos. Beever já trabalhou como tratador em inúmeros campeonatos e Jogos Olímpicos e sabe como deixar o cavalo e cavaleiro relaxados. Sua habilidade, conhecimento e ética de trabalho deixam seus cavalos em uma forma espetacular e Big Star chegou tinindo na Rio 2016. Beever é muito respeitado por todos e a dedicação a Big Star, que está sempre em primeiro lugar para que esteja feliz. E, é claro, Skelton tem total confiança no trabalho Beever. 

 “Quero somente dizer que agradeço a todos que votaram em mim", disse Beever. “Esse prêmio não é  somente meu, mas de toda equipe que trabalha muito duro. Muito obrigado mais uma vez e também a FEI por fazer isso por mim."

 FEI Solidarity – Moroccan National Federation / SA Charif Moulay Abdellah Alaoui, presidente da Federação Equestre do Marrocos 

A Federação Equestre do Marrocos teve muitas nomeações ao FEI Solidaridade e também conquistou total apoio da direção da FEI pelas atividades em prol do desenvolvimento e sucesso do esporte em 2016. Entre as ações destaque para estrutura da entidade, cursos para instrutores e cavaleiros, valores e bem estar dos cavalos. O Institut National du Cheval, recém criado, recebeu o FEI World Jumping Challenge Final 2016, que foi um tremendo sucesso. O ano de 2016 também ficou marcado pela inédita participação de um cavaleiro marroquino em Jogos Olímpicos. 

“Minha federação ficou muito honrada com o prêmio FEI Solidaridade. Muito obrigada, estamos emocionados e muito orgulhosos", foi a mensagem do príncipe Moulay Abdellah Alaoui. 

Sobre o FEI Awards

O FEI Awards, foi criado pela Princess Haya, durante sua gestão como presidente da FEI em 2009. Para informações completas da edição 2016 e  vencedores nos anteriores clique aqui. 

 

Fonte: FEI - versão CBH 

 

 

                                             ministerioesp227               seloLeiIncentivoVertical 72

CBH - Site Oficial da Confederação Brasileira de Hipismo
Rua Sete de Setembro, 81 - Ed. Moscoso Castro, 3º andar - CEP: 20050-005 Rio de Janeiro (RJ) - Tel: (21) 2277-9150 / Fax: (21) 2277-9165