superior covid19 2

QUIZ CBH

ID CBH 4

O adestramento é, sem dúvida, a base do hipismo e está entre os principais pontos que necessitam de especial atenção e aprimoramento no esporte em solo nacional. Junto com as competições estaduais, nacionais e internacionais, o Desafio Brasil de Adestramento, que visa o fomento à modalilidade, clínicas também são sempre muito bem vindas. Lembrando que o adestramento bem como o hipismo de modo geral é um aprendizado para toda vida. Essa semana em 25 e 26/10, visando promover e incentivar a prática da modalidade, a convite da CBH, o cavaleiro e juiz de adestramento Sergio Castany de Fiori , diretor de Adestramento da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo de Hipismo, vai ministrar uma clínica no Centro Hípico Guega, importante polo hípico em Ribeirão Preto do renomado cavaleiro olímpico de Concurso Completo Serguei Fofanoff. 

sergiofiori Akira

Sérgio Fiori com Akira AMM durante Internacional de Adestramento na Sociedade Hípica Paulista 

Ao lado de Yara Amaral Fernandes, Sergio é representante dos atletas de Adestramento junto à CBH. Em uma breve entrevista com Fiori, 37, que tem sua base de treinamento na Vila Jalna em Campinas, apresentamos um pouco de sua trajetória dedicada ao esporte.

sergiorperfil550

Sergio Fiori: juiz e cavaleiro de adestramento

Há quantos anos você está envolvido com o Adestramento?
Sergio Fiori. Comecei a montar aos 9 anos. Do Adestramento fui me aproximando aos poucos, minha primeira competição  foi em 1998, na Copa Amil, aos 16 anos. Em 2006, aos 24, me profissionalizei trabalhando com o Jan Brink, na Suécia.

Comente um pouco sobre sua trajetória em competições.
Fiori. Competi internacionalmente no Brasil e na Suécia. Com Akira AMM, um BH de propriedade Ana Maria Mantegazza, o último cavalo que competi em nível small tour, tive 5 vitórias nos 11 CDIs que participei. Em 2001 fui campeão sul-americano por equipes de jovens cavaleiros e também campeão brasileiro de cavalos novos (6 anos) em 2012. 

Qual a importância de além de cavaleiro também trabalhar como juiz?
Fiori. A carreira de juiz implica em uma formação muito longa e continuada. No momento da prova, a nota do juiz é o último elo de um processo que começou com o criador do cavalo, passou por domadores, treinadores, cavaleiros, veterinários e afins. Então gosto de pensar na atividade do juiz como um pedaço desse processo, uma contribuição ao esporte que traz grande responsabilidade.

Por favor comente em linhas gerais o objetivo da curso Equiwords Conjuntos que você vem ministrando nos últimos anos.
Fiori. O EquiWord Conjuntos é um curso que ofereço com meu sócio Darko Magalhães. Trabalhamos para melhorar o conjunto que cada cavaleiro faz com seu cavalo. Para tanto, oferecemos aulas teóricas e demonstrações, ensinamos algumas técnicas que normalmente são utilizadas na doma, e temos aulas de equitação, sempre com atenção individual. Cada participante é encorajado a acompanhar todo o processo para assim treinar a observação e valorizar a troca de experiências. Já tivemos oito edições em Campinas e Fortaleza, e os resultados foram muito bons.

 sergiocurso6

Sergio Fiori busca abordar o adestramento com visão global e troca de experiências

A seu ver qual a importância do trabalho de base / adestramento? 
Fiori. O trabalho de base correto é primordial em todas as modaalidades. Considero que a especialização em adestramento ocorre somente depois da serie média. Vou colocar alguns pontos relevantes:

a) Diminui a ocorrência de lesões no cavalo relacionadas ao esporte.
b) Diminui a chance de acidentes.
c) Proporciona a possibilidade para que o cavalo desenvolva da melhor forma possível o seu corpo e as suas habilidades naturais, melhorando assim a performance esportiva, seja no Salto, Adestramento ou Concurso Completo de Equitação.
d) Montar corretamente é infinitamente mais prazeroso. O trabalho correto de base é essencial para qualquer modalidade.

sergiotreino6

Respeito e atenção à escala de treinamento na formação dos cavalos

Durante o Campeonato Brasileiro de Adestramento no Clube Hípico de Santo Amaro, entre 22 e 24/11, entre outras ações com mesa redonda para oficiais e atletas, haverá um 2º painel BH (cavalo Brasileiro de Hipismo) de Adestramento.
Fiori.
O painel será durante o Campeonato Brasileiro para aproveitar a presença dos cavaleiros de vários Estados. Serão convidados dois profissionais de renome, sendo um juiz e um treinador, ambos cavaleiros experientes, para conversar com o público sobre equitação correta, focando na primeira parte da escala de treinamento: ritmo, descontração e contato.

 

Imprensa CBH C. May com imagens cedidas 

    novo logo cob 75                              52486598 2004012323016475 4886399187605782528 n              seloLeiIncentivoVertical 72

CBH - Site Oficial da Confederação Brasileira de Hipismo -
Rua Sete de Setembro, 81 - Ed. Moscoso Castro, 3º andar - CEP: 20050-005 Rio de Janeiro (RJ) - Tel: (21) 2277-9150

Horário de Funcionamento: 08:00 às 18:00 hrs - Seg. à Sex.

© Copyright 2010 - 2017 | Todos os direitos reservados | Produzido por  Magoo Digital