guabi620

consulta ID3

App CBH

Com promessa de disputas acirradas, os maiores ídolos do Salto desembarcaram no início de agosto no Centro Equestre de Shatin, em Hong Kong, local de todas as provas do hipismo. E as surpresas se sucederam antes mesmo da estréia em pista. Confira, os principais fatos de todos os dias da competição.

15/8 – Na estréia, Alemanha decepciona

O destaque na estréia do Salto no dia 15/8, válida como 1ª classificatória individual, foram os Estados Unidos que terminaram com três conjuntos fazendo pista limpa - McLain Ward/Sapphire, WillSimpson/Carlsson vom Dach and Beezie Madden/ Authentic – assegurando ao país entrar por último na 1ª parcial por equipes. Outros 13 concorrentes também zeraram, entre eles. os brasileiros Bernardo Alves/Chupa Chup 2 e Pedro Veniss/Un Blanc des Bancs. Com apenas um ponto perdido, Brasil, Canadá e Suíça estavam entre os países habilitados à final na lista das 16 nações qualificadas.

A norte-americana Bezzie Madden e Authentic viram a conquistar o ouro por equipe e bronze individual 

Mesmo desfalcado de Álvaro Afonso de Miranda Neto (Doda) por lesão em AD Picolien Zeldenrust, o Brasil fez uma bonita estréia, com pistas limpas de Pedro e Bernardo, Rodrigo Pessoa/Rufus com um ponto por excesso de tempo e Camila Mazza de Benedicto/Bonito Z - conjunto reserva que substituiu Doda – com 5 pontos.

Dona do maior número de medalhas olímpicas, a Alemanha entrou em pista como favorita, mas acabou fazendo uma apresentação bastante irregular com 22 pontos perdidos, já computado o descarte. Christian Ahlmann/Cöster perderam 10 pontos, assim como Ludger Beerbaum/All Inclusive, Marco Kutscher/Cornet Obolensky, 6 pontos, e a top do mundo Meredith Michaels-Beerbaum/Shutterfly bateu na vertical de nº 8 também computando 6 pontos perdidos.

17/8 – Brasil fica de fora da Final por equipes

A 1ª passagem da Copa das Nações foi disputada em quatro blocos, começando pelos conjuntos individuais e equipes menos bem qualificadas no dia 15/8.

Suíça e Estados Unidos, com 12 pontos perdidos cada, dividiram a liderança após a primeira volta da competição por equipes. Depois vieram a Suécia em 3º com 13 pp, e empatados em 4º lugar com 16 pp a Grã Bretanha e o Canadá, seguido pela Holanda e Noruega, 17 pp. A maior surpresa do dia foi o desempenho da equipe alemã que perdeu 20 pontos e empatou com a Austrália em 8º lugar, por pouco não ficando de fora da decisão de medalhas por equipes.

O Brasil não conseguiu ficar entre as oito equipes habilitadas para a Final. Com 25 pontos perdidos - já descartado o resultado de Pedro Veniss e Un Blanc des Blancs que sofreram uma queda no penúltimo obstáculo após o triplo salto – a equipe brasileira ocupou a 10º colocação, repetindo o resultado de Estocolmo (1956), Los Angeles (1984), Barcelona (1992) e Atenas (2004).

Também válida como 2ª qualificativa individual, a 1ª passagem da Copa das Nações promoveu um emocionante embate entre canadenses e norte-americanos. Sem uma única falta, Mc Lain Ward/Sapphire, dos Estados Unidos, e Eric Lamaze/Hickstead, do Canadá, lideravam a competição, seguidos bem de perto pelo brasileiro Rodrigo Pessoa e Rufus com apenas 1 ponto.

Eric Lamaze com seu espetacular Hickstead a caminho do pódio por equipes e individual

O irlandês Denis Lynch/Lantinus, o campeão mundial Jos Lansink/Cumano e o norueguês Tony André Hansen/Camiro encontram-se empatados na 4ª colocação parcial com apenas uma falta.

Os brasileiros Bernardo Alves/Chupa Chup 2 (30º no parcial) e Camila Mazza de Benedicto/Bonito Z (40º) mantinham-se, ainda, no páreo da disputa individual no grupo dos 50 melhores conjuntos com direito a participar da 2ª passagem da Copa das Nações cujo resultado definiria as medalhas por equipe e as 35 vagas (incluindo empates) para a 1ª passagem do GP Final no dia 21/8, onde somente os 20 melhores se habilitam ao 2º e decisivo percurso pelo título individual.

18/8 – Estados Unidos faturam o Ouro por equipe

No dia da 2ª e decisiva rodada por equipes, o time canadense formado por Jill Henselwood/Special ED (0), Eric Lamaze / Hickstead (4) e Ian Millar/In Style (0) fechou a Copa das Nações com 20 pontos perdidos na soma das duas rodadas.

Para aumentar ainda mais o clima de emoção, os Estados Unidos apresentaram o mesmo resultado com Mc Lain Ward/Sapphire (4), Laura Kraut/Cedrig (0), Will Simpson/Carlsson vom Dach (8 - descarte) e Bezzie Madden/Authentic (0).

O desempate estava garantido e de antemão os EUA levaram a vantagem de ter direito a descarte uma vez que o canadense Mac Cone não podia contar com sua montaria Ole que não amanheceu bem.

O desempate desafiou o experiente ginete canadense Ian Millar,  61, que leva a fama de "capitain Canada". Ian, que somava nove Jogos, buscava uma vaga na final e o sonho de conquistar a inédita medalha olímpica.

Ian Millar, o captain Canada, e seu In Style deram show de categoria

Primeiro a entrar em pista, o norte-americano Mc Lain /Sapphire zerou em 37s05, depois Jill/Special fez uma falta em 40s32, a seguir Laura com Cedrig fez pista limpa em 39s86 e Eric/Hickstead foi para o tudo ou nada e zerou em 36s35.

Sabendo que bastava zerar para garantir o ouro por antecipação, o terceiro americano Will/Carlsson fez um belo percurso sem faltas em 38s50. Com isso, os Estados Unidos comemoraram o segundo ouro olímpico seguido.

Os norte-americanos comemoram a conquista da medalha de ouro

Dono da inédita prata, o Canadá comemorou a conquista com gosto especial, porque subia ao pódio olímpico como equipe pela segunda vez depois de 40 anos. Nas Olimpíadas do México de 1968, a equipe havia conquistado o ouro com um time formado por Gayford, Jim Day e Jim Elder. E o veterano atleta de ponta Ian Millar - que não chegou a largar no desempate – enfim levou para casa a sonhada medalha.

O Bronze ficou com a Noruega com a equipe composta por Stein Endresen/Le Beau, Morten Djupvik/Casino, Geir Gullksen/Cattani e Tony Andre Hansen/Camiro.

O 4º lugar foi da Suíça com o time formado por Christina Liebherr/No Mercy, Pius Schwizer/Nobless M, Niklaus Schurtenberger/Cantus e Steve Guerdat/Jalisca Solier. Empatadas em 5º ficaram a Alemanha e Holanda.

Para o Brasil, 10º colocada na classificação por equipe, a 2ª passagem da Copa Nações valeu como qualificativa individual. E o resultado foi perfeito: o campeão olímpico Rodrigo Pessoa com Rufus e Bernardo Alves com Chupa Chup habilitaram-se para a grande Final na disputa pela medalha individual.

Camila Benedicto/Bonito Z fez uma boa atuação com apenas duas faltas terminando a competição na 38ª colocação, a um passo de ficar entre os 35 finalistas do GP Final valendo medalha individual.

21/8 – O canadense Eric Lamaze fatura o ouro individual e a Noruega perde a prata por equipe, medalha herdada pela Suiça

O dia da definição dos campeões individuais do Salto nas Olimpíadas de Pequim começou movimentado fora das pistas com a eliminação de quatro cavalos no doping por uso da substância proibida capsaicina, um dos componentes do gel Equi block DT: Chupa Chup, montaria do brasileiro Bernardo Alves, Cöster, do alemão Christian Ahlmann, Latinus, do irlandês Denis Lynch e Camiro, montaria de Andre Hansen.

O maior prejuízo foi do norueguês Tony Andre Hansen, conjunto que havia conquistado bronze por equipes. Com a desclassificação, a Noruega perdeu sua medalha que passou para a equipe da Suíça, 4ª colocada na Copa das Nações / Final por equipes.

Os contratempos, no entanto, não tiraram o brilho da disputa pela decisão da corrida pela medalha individual.

Com a eliminação de Bernardo Alves, Camila Mazza de Benedicto e Bonito Z, que haviam chegado em 38º lugar nas qualificativas, foram avisados pelo chefe de equipe do Brasil Marcello Artiaga de sua convocação para largar entre os 35 finalistas do GP Final que decidiria o título individual. A amazona paulista recebeu a notícia a pouco menos de cinco horas do início da corrida pelo ouro individual nas Olimpíadas 2008.

Na 1ª passagem do GP, Camila foi a terceira concorrente a entrar em pista. A Campeã Brasileira Sênior Top de 2008 mostrou sua categoria, técnica e frieza, concluindo o percurso sem faltas com direito a muita comemoração.

Camila e Bonito Z viriam a conquistar o melhor resultado brasileiro em Pequim 2008: a 9ª colocação, melhor resultado de uma amazona brasileira na história dos Jogos

Outros 10 conjuntos também terminaram o percurso sem faltas assumindo a liderança parcial da competição.

Rodrigo Pessoa com Rufus fez apenas uma falta o que o deixou na 11ª colocação parcial empatado com mais 12 conjuntos, ficando entre os 22 finalistas habilitados para a 2ª passagem.

Na 2ª passagem, abriram a disputa todos os concorrentes com apenas um derrube e, mais uma vez, a exemplo das qualificativas anteriores, Rodrigo e Rufus garantiram um belíssimo percurso sem faltas. Já Camila e Bonito Z, em outra grande apresentação, cometeram duas faltas.

No cômputo geral, somadas as duas passagens, apenas dois conjuntos registravam duplos zeros: o sueco Rolf-Goran Bengtsson montando Ninja e o canadense Eric Lamaze com Hickstead. Estava garantido o desempate pela medalha de ouro. Já pelo bronze, sete conjuntos estavam habilitados, entre eles Rodrigo Pessoa.

Rodrigo, campeão olímpico 2004, e Rufus em ação na arena de Shatin

A emocionante decisão

Montando All Inclusive o alemão Ludger Beerbaum - que detêm quatro medalhas de ouro olímpicas – foi o primeiro a largar, terminando seu percurso com uma falta no último obstáculo em 36s16. A seguir sua companheira de equipe, a amazona top mundial Meredith Michaels Beerbaum com seu espetacular e fiel Shutterfly fez pista limpa em 35s37.

Depois foi a vez do brasileiro Rodrigo montando Rufus que buscou melhorar o tempo de Meredith, mas bateu na trave, sem faltas, em 37s04, assumindo o 4º posto parcial. A seguir, o norte-americano Mc Lain Ward com Sapphire partiu com tudo para garantir o bronze e com muita astúcia cortou a volta pela direita entre o 2º e 3º obstáculo saltando por cima de um canteiro. Mas com uma "jorgete" no último obstáculo, um muro, o conjunto fechou sua apresentação com 4 pontos em 35s39.

A jovem holandesa Angelique Voorn com O´Brien veio a cometer duas faltas em 36s89. Próxima em pista, sempre muito competitiva, a norte-americana Bezzie Madden montando Authentic - conjunto bicampeão olímpico por equipes 2004/2008 - mostrou arrojo e categoria: saltou o canteiro entre o 2º e 3º obstáculo e, sem faltas, em 35s25, chegou à frente de Meredith e Rodrigo que caíram para a 4ª e 5ª colocação, respectivamente. Este resultado se manteve após a entrada do último conjunto, o holandês Marc Houtzager com Opion que cometeu dois derrubes em 36s77.

Foi então que todas as atenções na arena de Shatin se voltaram para a decisão da medalha de ouro. Primeiro a entrar, o sueco Rolf com Ninja fez um percurso relativamente tranqüilo amargando uma falta no último obstáculo em 38s39. Agora bastava que o canandense Eric com Hickstead fizesse pista limpa. Dito e feito: com muita categoria e técnica, Eric e Hickstead garantiram o ouro individual sem faltas na mesma marca de seu concorrente: 38s39.

O canadense Eric e seu Hickstead: ouro individual  

Comemorando muito, o novo campeão olímpico Eric, 40, deixou a arena sob fortes aplausos sendo recepcionado por seus colegas de equipe e amigos. Rolf ficou com a prata e Bezzie com o bronze. Já o brasileiro Rodrigo, campeão olímpico individual em 2004 e duas vezes medalha de bronze por equipes em 1996 e 2000, arrematou o 5º posto.

No alto do pódio: Eric Lamaze, medalhista de ouro, comemora ladeado por Rolf Bengtsson, prata, e Bezzie Madden, bronze

A paulista Camila Benedicto saiu da China ostentando a 10ª colocação, o melhor resultado de uma amazona brasileira na história dos Jogos.

Os campeões com palavra

Para Eric Lamaze e o Canadá as conquistas em Hong Kong representaram um momento extraordinário para o país. A medalha de ouro Lamaze, que vive em Shomberg, no Estado de Ontário, foi a segunda conquista individual do Canadá em Jogos Olímpicos, depois de Michel Vaillancourt, prata em Montreal 1976.

O medalhista de prata Rolf Bengtsson declarou na coletiva de imprensa: "Estou muito satisfeito. Sabia que o Eric ia entrar depois de mim e tem um cavalo muito veloz. Então tive que tentar, mas meu cavalo Ninja avançou tanto para o último obstáculo que não consegui acertar a distância. Mas hoje tivemos um outro grande vencedor", arrematou Bengtsson, em reverência ao campeão Lamaze.

A norte-americana e medalha de bronze Bezzie Madden explicou que ambos - Ninja e seu cavalo Authentic - são filhos do mesmo garanhão, Guidam. "E todos os três cavalos dos medalhistas no pódio são sela holandeses, não muito altos, mas leves e cheios de energia", ponderou Bezzie, esposa do treinador Frank Madden, que do alto de seus 45 anos encontra-se em plena forma.

As surpresas pós-Olimpíadas (atualizado posteriormente)

Meses após término dos Jogos, Rodrigo Pessoa perdeu a 5ª colocação porque em sua montaria Rufus foi encontrada a mesma substância proibida capsaicina que já tinha eliminado os cavalos Chupa Chup (Brasil), Coster (Alemanha), Latinus (Irlanda) e Camiro, que tirou a medalha de bronze por equipe da Noruega.

Com a desclassificação de Rodrigo Pessoa, a estreante em Olimpíadas e reserva da equipe Camila Mazza de Benedictos subiu da 10ª para a 9ª colocação, o melhor resultado entre os atletas brasileiros do hipismo nos Jogos de Pequim.

Feitos e Fatos

  • O traçado das pistas de Salto no Centro Equestre de Shatin, em Hong Kong, foi assinado pelo course-designer Steve Steven, dos Estados Unidos, que teve como assistente Leopoldo Palácios, da Venezuela.
  • Luiz Rocco foi o único brasileiro convocado pelo Comitê Organizador para atuar nas modalidades hípicas. Rocco, que é secretário executivo da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) foi convidado pela Princesa de Haya, presidente da Federação Equestre Internacional (FEI) para atuar como “chief stewart” (comissário chefe) no Salto.
  • Estados Unidos conquistaram a medalha de ouro por Equipe e bronze individual; o Canadá faturou o ouro individual e a prata por equipe; a Suécia levou para casa a prata individual e a Suíça acabou herdando o bronze por equipe depois da desqualificação da Noruega.

Quadro de Medalhas

EQUIPE

OURO - Estados Unidos
Mclain Ward/Sapphire
Laura Kraut/Cedric
Will Simpson/Carlsson Vom Dach
Breezie Madden/Authentic

PRATA – Canadá
Mac Cone/Ole
Jill Hensel Wood/Special Ed
Eric Lamaze/Hickstead
Ian Millar/In Style

BRONZE – Suiça
Chrstina Liebherr/No Mercy
Pius Schwizer/Nobless M
Nicklaus Schurtenberger/Cantus
Steve Guerda/Jalisca Solier

INDIVIDUAL

OURO
Eric Lamaze/Hickstead (Canadá)

PRATA
Rolf-Goran Bengtsson/Ninja (Suécia)

BRONZE
Beezie Madden/Authentic (Estados Unidos)

 

Fotos: Kit Houghton/FEI e Xinhua/Site official Benjin ; Fontes: Site FPH com Carol May, Rute Araújo e Federação Equestre Internacional

 

    novo logo cob 75                              52486598 2004012323016475 4886399187605782528 n              seloLeiIncentivoVertical 72

CBH - Site Oficial da Confederação Brasileira de Hipismo -
Rua Sete de Setembro, 81 - Ed. Moscoso Castro, 3º andar - CEP: 20050-005 Rio de Janeiro (RJ) - Tel: (21) 2277-9150

Horário de Funcionamento: 08:00 às 17:00 hrs - Seg. à Sex.

© Copyright 2010 - 2017 | Todos os direitos reservados | Produzido por  Magoo Digital